domingo, 9 de julho de 2017

VAMOS SONHAR ESTA NOITE?

                                                                                                                                               

                      VAMOS SONHAR ESTA NOITE?
                                                                       
                                                                                   

                      Estão, vamos sonhar esta noite?
                      Vamos curtir e acreditar que estamos passando a noite ou mesmo, quem sabe um tempo, um bom tempo em linda e mágica casinha encantada no meio de uma floresta também encantada!
                     Nessa casa, como que por obra dos encantos e sonhos, viveremos uma história ou estória de magia.
                    Será uma estória  de chaminé fumegante, um borralho crepitando lenha em brasa, o forno cheirando a pão assando, um tripé à beira do fogão e do coador corre para o bule um fumegante e cheiroso café!
                 O leite tirado na hora vem quentinho e borbulhante! Que tal tomá-lo primeiro, assim recém-tirado e com um pouco de conhaque?
                      Um gato ronrona ao pé do borralho, as galinhas ciscam no quintal enquanto o cachorro perdigueiro se coça à porta da cozinha,
                      Duendes e gnomos estão a brincar no jardim, e as borboletas volteiam de flor em flor bailando com as fadas das brisas matinais.
                      O cheiro de campos e matas embalam nossos sonhos à noite e pela manhã, ao sol que intensifica o cheiro, nos convida á vida e ação!
                      Nossos olhos brilham ao nascer do sol, o céu se tinge de claro azul mesclado ao rosa e dourado da aurora, e brancas nuvens brincam levadas pela brisa matinal!
                   
O galo rei do terreiro, será o primeiro a anunciar o dia que desperta, dando as boas vindas ao dia, e aos prazeres trazidos pelo rei sol!
                      Que tal? Aceitam meu convite? Acolhem minha sugestão? Vamos então nos dar  boa noite, que o dormir e o sonhar nessa casinha deverá ser um prazer único!
                      O céu será mais estrelado, pois escuro, mais parece macio veludo em tom de azul noite em que miríades de estrelas cintilam como brilhantes bem lapidados!
                      Daremos um último olhar à noite estrelada e aos pirilampos que bailam em coreografia de luzes pisca-pisca e vamos nos deitar e sonhar com o dia que virá trazer novos encantos e vida!
                      Por ora fiquemos com os encantos da noite enluarada!



                                                                                                              Mariza C.C. Cezar
                                                                                
                                                                         

                                                                                         

3 comentários:

Flávio Tallarico disse...

Querida amiga. Nesta sua crônica encantada,você descreveu o paraíso. Só tenho de, mais uma vez, lhe parabenizar pela doçura com a qual escreve. Abração.

Ercy Longo disse...

Que lindo texto, Mariza! Parabéns e obrigada por, mais uma vez, compartilhar conosco a visão de um mundo encantado e cheio de coisas simples mas que realmente nos fazem felizes. Abração

mario sebastiao bonitatibus disse...

Caríssima amiga, Mariza, no bailar das tuas letras, tão bem compostas como, as belas sinfonias, embarquei! Lembrei-me de quando criança, na antiga estaçãozinha de Aurora, ramal de bitola ''60'',...Criado por fazendeiros do café, do século XIX, passávamos com as primas, dias maravilhosos, subindo nas árvores frutíferas e explorando as matas ciliares, também, nadando no rio do Pantano e pulando da sua velha ponte de madeira... Brincáva-mos e, só! Do velho poço, com a corda enrolada no sarrilho, na ponta o balde, virando a manivela, retiráva-mos a água... Em volta, as galinhas com suas ninhadas, ciscavam catando minhocas e outros bichinhos; uma festa inocente, na roça... A noite, luz de lampião, por pouco tempo! Então, soltava-se os bioluminescentes no pequeno quarto, onde todos cabiam, e, dormíamos, rapidinho,... Tudo de novo, no dia seguinte...Brincáva-mos e, só!
Agora, vou dormir e sonhar que estou naquela tua casinha! Boa noite!